AVISO: A informação disponibilizada neste site tem como data de referência o ano 2002 e pode encontrar-se desactualizada.


[O átrio da fonte]

 

Época termal
---

Indicações

Para os doentes”, é a indicação dada no Aquilégio (1726), é de crer que nunca lhe tivesse sido atribuída outro uso terapêutico a não ser esse de ser uma “água pura”, mas essa mesma pureza esteve sempre associada ao culto a N. Sr.ª do Tojo.

Tratamentos/ caracterização de utentes

---

 

Instalações/ património construído e ambiental

O local da fonte forma um terreiro rectangular delimitado por muros/ bancos, o chafariz de frontão a fechar um dos lados maiores, o lado oposto abre-se para o vale em declive acentuado, ocupado, actualmente, por uma pinhal ardido, que seria aconselhável não reflorestar, num espaço separador de incêndio onde o excesso da nascente poderia formar a sua linha de água e o seu micro-ambiente.
Ao centro do Frontão triangular, abrem-se dois nichos, o superior e mais pequeno era dedicado a uma imagem, provavelmente N.Srª do Tojo. O nicho inferior de maiores dimensões é de arco de volta perfeito, no seu interior encontra-se a bica de onde corria a água para um pequeno tanque (1x0,5m) que me pareceu talhado numa só pedra, trabalho muito anterior a toda esta estrutura que terá sido totalmente renovada no último quartel do séc. XIX, sobre uma obra do séc.XVII.
Por detrás da estrutura da Fonte encontra-se num comprimento de 5m a estrutura ruída da mina de captação.
Quando da visita o pequeno Santuário de N. Sr.ª do Tojo encontrava-se numa fase final de obras de recuperação, como nos disse o encarregado das obras: “Estamos a restaurar a capela, estava mesmo um caos, estava a cair… Levou agora uma grande reparação mas é tal e qual o que existia cá “. A capela conserva a sua parte central uma estrutura do séc. XVII, onde se destaca um portal tardo renascentista, obra de boa oficina. Em volta da capela foi construído um alpendre para abrigo dos romeiros em data posterior. Nas actuais obras acrescentou-se uma torre campanário ao gosto “português suave”, mas que pela suas modestas dimensões não choca no conjunto, o único senão existente na actual renovação é o excesso de cimento aplicado sobre uma estrutura de argamassa tradicional, onde a “ligação” entre estes dois tipos de massas nem sempre deu bons resultados.   
Nas traseiras e por baixo do altar-mor localiza-se a gruta: “Aqui  foi a tal gruta onde apareceu a Santa… onde estava o Tojo onde a Santa apareceu, isto vai ser restaurado com pintura manual” (Encarregado das obras) .

O Terreiro das festas conta ainda com um coreto para bandas, um palco para conjuntos e de um poço que deverá ter sido a causa do abandono da Fonte de N.Srª do Tojo. Este poço foi construído em 1959, segundo o que reza uma inscrição em mármore na parede de uma construção cúbica, que serviu de depósito e bombagem da água para os romeiros em dia de festas, actualmente escrito sobre o azulejos da parede das torneiras encontra-se o aviso “ Água de Qualidade Desconhecida”

 

Natureza

---    

 

Alvará de concessão

---

regressar ao topo da página

 

Historial

“… entre o mato, está uma fonte de água excelente, a qual vão buscar de muito longe para os doentes, e dizem os moradores daquele lugar, que havendo entre eles alguma diferença sobre esta água , que logo a fonte seca. Consta da Corografia Portuguesas, tomo 2, fol,190 “(Aquilégio, 1726, 91)
Na Corografia essa afirmação aparece depois da descrição do milagre que está na origem do culto, é mais uma vez a necessidade de retorno da imagem ao sítio onde foi encontrada por um pastor. Encontrada no meio do tojo, que não ardeu “ quando se pegou fogo a um mato”, o nosso pastor levou a imagem para casa mas ao chegar, não estava na sua sacola, voltou ao monte de tojo e encontrou a imagem, o sinal foi interpretado como a vontade da Senhora querer o templo naquele local. O autor não menciona nenhuma relação entre o culto e a fonte, ela está “Perto desta ermida” .
Castro (1762) repete a noticia e acrescentou: que em disputas de terras e águas entre a população a fonte era sensível manifestando-se na diminuição do seu caudal, comentando no final: “ que para mim é incrível …”
Quanto há memória das suas qualidades terapêuticas, já o Dr. Mirandela as remetia para um vago: “excelente, a qual vão buscar de muito longe para os doentes”. Era portanto uma boa água de nascente, cuja distância do Souto obrigava a uma jornada planeada com os melhores cântaros da casa. Esta memória de “água pura” prevaleceu até aos nossos dias, o encarregado das obras de reforma do Santuário, relatou-nos:  Antigamente ainda vim aqui muitas vezes buscar água … Diziam que a água era boa, era levezinha … são coisas antigas, não sei, são lendas.

No Verão seco de 2005 os pinhais em volta da nascente arderam, embora a estrutura da fonte não tenha sofrido com o incêndio mais que o derreter de um o tubo de borracha aplicado sobre a bica. Da bica não corre uma gota, por detrás do frontão, encontra-se desmoronada a mina de captação, o que aconteceu em tempos anteriores ao recente incêndio. Ficou a promessa do empreiteiro “Vou falar com a Fábrica da Igreja para se restaurar a fonte, aquilo é um bom local para namoro, e a água tem de estar lá!...

regressar ao topo da página

 

Alojamentos

Em Abrantes de vários tipos e estalagem na ilha na ilha da albufeira de Castelo de Bode (Martinchel)

regressar ao topo da página

 


Recortes

---

regressar ao topo da página

 

Bibliografia

Acciaiuoli 1944, Castro 1762, Costa 1706-1712, Henriques 1726.

regressar ao topo da página

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Dados gerais

Distrito
Santarém

Concelho
Abrantes

Freguesia
Souto         

Povoação/Lugar
Santuário de N. Srª do Tojo 

Localização
A Ermida de Nossa Senhora do Tojo localiza-se a 2km da sede de freguesia. A nascente é a cerca de 300m do Santuário tomando um caminho de terra que sai do canto do terreiro oposto à estrada de chegada.  

Província hidromineral
B / Bacia hidrográfica do Rio: Tejo        

Zona geológica
Maciço Hespérico – Zona Centro Ibérica

Fundo geológico (factor geo.)
Rochas Metamórficas (Xistos)  

Dureza águas subterrâneas
50 a 200 mg/l de CaCO3 

Concessionária

---

Telefone
n.d.

Fax
n.d.

Morada
Em propriedade da Fábrica da Igreja da Paróquia de Souto

E-mail / site

n.d.

 

 


O Santuário de N. Sr.ª do Tojo



O tanque da fonte