AVISO: A informação disponibilizada neste site tem como data de referência o ano 2002 e pode encontrar-se desactualizada.


[O ribeiro de Vale de Cavalos]

 

Época termal
---

Indicações

Usada para o reumatismo e doenças de pele
Era uma boa água para a pele, iam lá á água para tudo. (Informante)

Tratamentos/ caracterização de utentes

---

 

Instalações/ património construído e ambiental

Tratava-se de furo artesiano actualmente selado.  

 

Natureza

Sulfúrea sódica hipotermal  25ºC / alcalino sódica – fortemente silicatada

Era uma água de enxofre, dantes até corria para fora, agora não seNão nascia fria não, era assim morninha (Informante).

    

Alvará de concessão

---

regressar ao topo da página

 

Historial

Foi encontrada no início da década de 50 uma água com características medicinais, buscava-se água para rega, num furo a 150m de profundidade “encontrou-se uma abundante toalha líquida… a água subindo com uma notável força ascensional inundou a propriedade”  (cit. Almeida, 1962)  
Quando da visita aos Banhos da Charneca da Farrio em Alcanhões, na outra margem do Tejo e a uma distância em linha recta de cerca de 8km foi mencionado que o caudal das águas da Charneca tinham diminuído muito depois da abertura de um furo na margem esquerda do Tejo.

Actualmente foi feito outro furo para utilização agrícola onde surgiu água sem composição mineralógica, o velho furo de água sulfúrea foi selado, mas como se lamentou uma idosa senhora: Já há muitos anos que não usam, dantes corria para fora, agora não sei, mas eu acho que eles fecharam aquilo mesmo, mas foi pena.  

regressar ao topo da página

 

Alojamentos

---

regressar ao topo da página

 


Recortes

---

regressar ao topo da página

 

Bibliografia

Almeida 1962

regressar ao topo da página

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Dados gerais

Distrito
Santarém

Concelho
Chamusca

Freguesia
Vale de Cavalos       

Povoação/Lugar
Vale do Marquês 

Localização
De Vale de Cavalos pela estrada EN 118 para a Alpiarça, a 3km a estrada corta um pequeno regato conhecido pela denominação de Vale do Marquês, divisão entre os concelhos da Chamusca e Alpiarça, este regato dá nome a uma fazenda em grande parte ocupada pela exploração vinícola.  

Província hidromineral
A /Bacia hidrográfica do Rio: Tejo.      

Zona geológica
Bacia Terciária do Tejo  

Fundo geológico (factor geo.)
Terrenos de aluvião.      

Dureza águas subterrâneas
50 a 200 mg/l de CaCO3

Concessionária

---

Telefone
n.d.

Fax
n.d.

Morada
n.d.

E-mail / site

n.d.

 

 


A EN-118 no local em passa sobre a Ribeira de Vale do Marquês